Ananás - TO

      O município de Ananás, localizado no Vale do Araguaia, tem seu primeiro registro histórico em 1870. Teodoro Geofre Vanderley, proveniente do Maranhão, comprou uma gleba de terra, muito fértil em mogno, que era de propriedade dos padres. Após vários anos aquela foi vendida a João Ribeiro Pires de Oliveira. Em 1890, quando alguns fazendeiros escolheram as Campinas da região para criatório de gado, passando estes criadores, a trazerem suas famílias e habitarem este local. Mas, o primeiro registro histórico foi por ocasião da fixação da família José Honorato da Cruz, vinda do Maranhão por volta de 1903, onde hoje se ergue a sede principal. Os primeiros habitantes trabalhavam na criação de gado, lavoura de cana e extração de amêndoas de babaçu. Aos poucos, com a fertilidade das terras, esse aglomerado rural começou a chamar a atenção dos municípios vizinhos. Em 1946, fixou residência nesse local o comerciante José Leite, com um comércio de compra de peles silvestres, amêndoas de babaçu e arroz, fornecendo em troca, tecidos, ferragens, calçados e munições. Do garimpo do Chiqueirão (Xambioá) as autoridades expulsaram garimpeiros que, sem ter aonde ir, alcançaram um lugar, já habitado, que, mais tarde se chamaria Ananás. A povoação aconteceu de fato no período de 1953 a 1958, com a vinda de muita gente para este local, alguns mais do norte, vieram fugindo da guerrilha do Padre João contra o fazendeiro Leão Ledra (Tocantinópolis), outros, em grande parte maranhenses, a procura de terras para exploração do babaçu e para implantar lavouras. Em 1952 o pastor evangélico Tiburcio Vieira, que veio em uma missão de evangelização, deu início a localização de lotes para construção de residências de adeptos para a sua igreja dando início a rua dos crentes, hoje com o nome de Avenida Betel. Na região havia em abundância uma fruta parecida com o abacaxi ananás, daí o local ficou conhecido sob essa denominação. A fertilidade do solo na região propiciou condições para a consolidação do núcleo populacional e a consequente elevação do mesmo à categoria de Distrito. Isto por força da Lei Municipal n° 30, de 1° de Dezembro de 1960. A Lei Estadual n° 4.684, de 4 de Outubro de 1963, elevou o Distrito a categoria de Município do Estado de Goiás e a sua sede á categoria de cidade, desmembrando-o do município de Araguaína, ao qual se encontrava subordinado política e administrativamente, tendo o primeiro prefeito eleito pelo voto popular, senhor Antônio Araújo Dias (Antônio Juca). Nos dias atuais, o município encontra-se em uma fase de desenvolvimento, com um comércio forte e grande demanda de prestação de serviços e instalações de indústria na cidade, sendo referência para a região e municípios ao seu redor. A cidade possui cinco avenidas importantes que cortam todo o perímetro urbano da cidade onde estão instalados os principais comércios e prédios públicos, são elas: Avenida Brasil, Avenida Betel, Avenida Duque de Caxias, Avenida Antônio Alves Moreira e Avenida Brigadeiro Eduardo Gomes. O município possui em sua área municipal alguns aglomerados urbanos sob a sua jurisdição que são: Povoado São João, Povoado São Raimundo, Povoado dos Nunes e Povoado Antonina, localizado na beira do Rio Araguaia. Uma festa religiosa é celebrada anualmente a 29 de junho, em homenagem a São Pedro Apóstolo, Padroeiro da paróquia e do Município. Está situado a 520 km de Palmas e a 1.326 km de Brasília.